segunda-feira, 18 de abril de 2011

Um pouco da minha história


Vou contar um pouquinho e bem resumido do que passei de três anos pra cá.
Tinha uma vida bem agitada: esposa, mãe,trabalhava, estudava, era atuante na comunidade, voluntária em vários lugares, etc...
De repente  senti  umas coisas estranhas, foi descoberto um problema de coluna e que precisava  fazer uma cirurgia urgente. Lá fui eu... Cirurgia feita e sucesso. Saí andando muito bem, alegre da vida. Passei alguns dias em casa e comecei  a sentir dores, voltei ao hospital e por lá mesmo fiquei.
Sepse, esse foi o diagnostico. Nem tinha idéia do que era isso. Fiquei no hospital alguns meses e depois muitas idas e vindas. Precisei fazer uma segunda cirurgia na coluna, mas desta vez era para limpeza, para assim conseguir baixar minha sepse.  Aí danou-se, nessa cirurgia teve lesões na medula, pois precisou fazer um processo de raspagem , por isso digo que o que tenho são seqüelas da infecção.
Foi  muito dolorido todo o tratamento e ainda é. Sinto dores que muitas vezes não consigo nem explicar.  Saí do hospital muito fragilizada, achando que era passageiro, que com o tempo ia melhorar, ia voltar a minha vida normal, a minha rotina. Isso não aconteceu...
O tempo ia passando e percebia que  minhas pernas não me obedeciam mais. Fui perdendo  a  força progressivamente. Passei de andante para mancante, de mancante pra bengalense, de bengalense para muletante e muletante para quase cadeirante. Sempre falo quase cadeirante, pois não a utilizo sempre, e sim quando tenho que sair, sendo que me mudei  para um apartamento e tenho tudo organizado de uma forma para facilitar minha vida.
Me lembro como sofri ao ser  apresentada a bengala. Foi como se me tornasse incapaz. Não demorou muito comecei  usar muleta canadense. Fiquei triste de imediato, mas assim que dei os primeiros passos, a felicidade foi tanta que parecia que tinha descoberto a roda, rsrsrs. Percebi  que com elas não precisa mais de tanta ajuda e ganhei mais postura.
As primeiras vezes que andei na cadeira me senti humilhada, não queria que nenhum amigo me encontrasse e foi exatamente o contrário que aconteceu. Sempre encontrava alguém conhecido. Ainda não tive coragem de ir a igreja de cadeira, lá tem muita gente que não entende direito o que me aconteceu e é tão difícil e dolorido explicar tudo...
Hoje sou DEFICIENTE FISICA.  Não foi fácil aceitar, nem foi por  lastimar ou preconceito e sim por não entender o que estava acontecendo. Não tive nenhum profissional da saúde que me explicasse o que estava havendo comigo, coisa hoje que sei que seria obrigação do médico me  orientar e  encaminhar para uma melhor adaptação. Mas isso é outra história...
Agora estou vivendo mais um momento de adaptação. Intestino e bexiga não estão querendo me obedecer...  Sabia que poderia acontecer, já tinha lido artigos que  relatavam casos de pessoas que tinham  lesões medular que acabavam tendo esse tipo de problemas , mas sou humana  demais e sempre desejei que não acontecesse comigo. Hoje quando chego em algum lugar  logo procuro saber onde está o banheiro.
Agora estou perdendo também a sensibilidade nas pernas. Pra falar a verdade essa falta de sensibilidade nem tinha percebido foi o meu médico  que ao me examinar  me deu a notícia, depois do diagnostico  me dei conta que também estou arrastando muito o pé e sei que isso não é bom sinal. Se aparecer em minha frente um minúsculo degrau ele rapidamente se torna  uma muralha fazendo com que tenha que me preparar  física e psicologicamente para enfrentá-lo.
Hoje estou vivendo um momento de incerteza do futuro, estou esperando também outros resultados  para definir tratamentos ou paliativos.
Lógico que tudo isso mexe com a vaidade de qualquer um, mas tenho que enfrentar da melhor maneira possível. Sempre digo que se eu que tenho que enfrentar então...
Mas de tudo  tem um lado bom, descobri esta semana um lado maravilhoso. Fui fazer depilação e não senti dor nenhuma.  Falando sério, sou grata por Deus ter colocado em minha vida pessoas maravilhosas que nunca me abandonaram. Digo isso por que percebemos que tem “amigos” que se afastam, talvez inconscientemente,  tem outros que pelo contrário se aproximam e não deixam que  nada nos abalem, e pegam para si as dificuldades do  meu dia a dia.
A família então... todos ficam atentos às novidades do mercado para facilitar meu dia a dia, a lugares acessíveis e o mais legal de ver é que deixam de ir ,mesmo que  não iriam comigo, a lugares que não tem acessibilidade.  Costumo falar que não existe uma pessoa com necessidades especiais e sim uma família, eles vestem a camisa.
Tenho certeza que se Deus me deu esta cruz é por que suporto e com ela que tenho que construir minha historia.
É por isso que não desanimo, não me sinto fragilizada e tenho esperanças que dias melhores virão e afinal este é meu lema “um dia de cada vez e sempre”.  
http://3.bp.blogspot.com/_gmChSBGSNNE/TLnzqqtsZwI/AAAAAAAABJ4/nUxJTpNH_tQ/s1600/muletante+feliz.JPG 
Beijo a todos.
Márcia Pitelli

10 comentários:

  1. Minha cara amiga Marcia: Saúde e paz. A cada dia que passa você torna-se para mim uma referência de ser humano com h maíusculo. Por que digo isso? Porque acompanhei de perto por longo tempo o comportamento de meu brinquedo vivo, o único que tive, e que dúvido que álguem tenha tido. Minha irmã. Devo já lhe ter falado algo a respeito dela, mas nunca é demais registrar, que ela foi um exemplo - como você esta sendo - de fé no sentido pleno, de fé como superação, de fé como firmeza, de fé como confiança e certeza de que viver é estar preparada para o que der e vier, pois hoje é o primeiro do resto de nossas vidas, e nada mais correto do que curtir "um dia de cada vez e sempre..." Conte conosco e confie em Deus.

    ResponderExcluir
  2. Lindaaaaa,
    Que bom ler tudo isso, com lágrimas nos olhos e imaginando cada palavrinha virar ação e sentimento dentro do meu coração, algumas coisas eu me vejo sentindo igual ou parecido, outras não, apesar da dor massacrante o aprendizado é imenso, e a contradição entre o corpo e a alma são desiguais em vários dias, mas fala sério o aprendizado para a alma, as coisas que vamos vencendo tornam nossa alma muitooo mais brilhante, e não sei se já te disseram ... rsss...a alma é para sempre e o corpicho, bom esse nos serve só nesta vida.
    Márcinha vc não imagina o quanto é gratificando para mim ser sua amiga virtual, acompanhar sua caminhada...aprendo muito com vc...obrigada por lutar, por continuar, por ser linda assim...
    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  3. Má... Olha, vou confessar que só fiquei sabendo mesmo da sua história por aqui. Eu não gosto muito de ficar perguntando até pra não parecer uma sem noção, sabe, daquelas que fica mexendo na ferida do outro... então, eu fico na minha. E vou dizer que o que li aqui nesse post, não é pouca coisa não. Não é qualquer um que suportaria tantas coisas assim. Você já é uma guerreira por passar por tudo isso! Claro que nós não aceitamos certas coisas e isso faz parte. Penso que deva ser difícil demais termos que admitir que não podemos fazer isso ou aquilo. Não cabe na nossa cabeça que ontem eu podia fazer isso, eu tinha aquilo e hoje eu não posso e não tenho mais. É muito complicado lidar com tudo isso. Mas eu tenho a certeza de que você vai sim superar tudo isso pelo que tem passado. Foi como falei, não fico perguntando, não fico mexendo na ferida até pra não machucar mais (acho que ninguém gosta de ficar falando sobre assuntos que nos deixam tão fragilizados) mas saiba que torço muito pela sua melhora e vitória. Foi como falamos na sexta-feira no terço: pra Deus nada é impossível.
    Você é uma guerreira mesmo!!!! Te admiro por isso, viu.

    Ah, sobre o seu pedido, vou te mandar aqui o link do sorteio. Eu coloquei na barra lateral do meu como Gadget - imagem. Veja se consegue fazer da mesma forma. independente disso, eu já fiz sua inscrição extra, ok.

    Espero que eu tenha te ajudado, mas se ainda assim tiver dúvida, pode gritar. O que eu souber e puder te ajudar aqui, eu faço, tá.

    bj gde da Fabi.

    http://eavidaacontecendo.blogspot.com/2011/04/primeiro-sorteio-do-blog-e-vida.html

    ResponderExcluir
  4. Oi Má... já te disse que te admiro muito, né. E agora vou completar: se eu tiver só um terço dessa sua fé, dessa sua força e dessa sua certeza de que não estamos sós, eu já me darei por feliz!!! Obrigada pelo seu exemplo de grandeza e obrigada por me incluir nos seus amigos-irmãos. Sinto-me lisonjeada e acho que nem mereço tanto.

    Agora sobre o banner na lateral, você vai fazer o seguinte:

    1) Entra em configurações do blogger em design;

    2) clique em adicionar um gadget;

    3) procure o ícone imagem (é o 10° item);

    4)Adiciona o link do sorteio e a imagem do anel;

    5) depois é só salvar e aí aparece lá no seu blog.

    Tenta desse jeito pra ver se dá certo. Depois me fala, tá.

    Bj Gde da Fabi.

    ResponderExcluir
  5. Marcia querida, cada vez que leio sobre sua história ...fico gelada....são tantos sentimentos que me passam á cabeça...e tento organizá-los da forma que o bem sempre deve prevalecer....e vc assim o fez...consegue no meio de tantos degraus (literalmente)...encontrar outro caminho e perseverar...dando o exmplo e sendo vitoriosa mesmo na dor.....
    Não tenho palavras para descrever o quanto te admiro pela tua atitude.
    Se posso de alguma forma me solidarizar contigo, já estou fazendo agora...emanando muuita energia pra voc~e e te incluindo em minhas orações diárias...
    Tenha coragem...vá á Igreja....lá esta a tua fonte de água pura....
    Você Márcia é a gema de Quartzo que mais possue rutilos.....uma gema rara....
    Abraços bem fortes e especiais.....

    ResponderExcluir
  6. oi amiga-
    sou péssima com palavras - sou daquelas que ouvem e ja choram , e não sai nada da minha boca - cada um tem seu jeito de sentir - este é o meu - me solidarizo tanto que chego a sentir a dor desta pessoa- e te admiro ,você parece ser bem forte - tb acho que tu deveria ter tido um acompanhamento- um psicologo, um médico que te falasse o que estava acontecendo e o que poderia aocntecer - pois é dificil a preparação, a aceitação -
    e amigos ...nestas horas a gente ve quem são -
    bj
    lu

    ResponderExcluir
  7. Oi Marcia querida, tenho certeza que não será muito dificil para vc ter este relógio sem pedras e ouro na lateral...pra quem tem um ourives em casa...risos...
    Bjos lindona....

    ResponderExcluir
  8. Oi Má.... vim agradecer os dois comentários que me deixou. O do Tiradentes e o do Soneto... o do Soneto me emocionou, hein. Lindo demais mesmo. Devia fazer um post com aquele comentário. Belíssimo mesmo. E o do Tiradentes foi mesmo uma curiosidade que não sabia não!!! História é muito bom, né. Olha quanta coisa que a gente vai sabendo no decorrer da história... Adorei :) Super beijo e tenha uma ótima semana.

    Ah, passa seu endereço pra mim, por favor. Sexta tem o terço aí e eu não quero faltar!!! Beijos...

    ResponderExcluir
  9. Márcia, nada muda,quando se tem uma LINDAAA, família, Deus está presente, sabe quanto eu amo seus filhos e vejo o exemplo de´filhos maravilhosos eles para mim são meus sobrinhos preciosos. lembre-se sempre e a toda hora tudo que acontece não é acaso. Deus é maior rezo todos os dias por você e sua família.
    Sabe quanto sou enrolada e atrasadinha, não estou presente em corpo mas sabe que mora no nosso coração amamos vocês.
    Beijos fica com DEUS

    ResponderExcluir
  10. Márcia, acho que vc não se lembra de mim, não tive muito contato
    c/ vc na faculdade UNICID, eu sentava atrás de vc e da Lurdes, mas desde aquela época observava a sua pessoa, mulher estudiosa , muito interessada na aula, inteligente , comprometida, o pouco que sei de vc senti que tu és uma guerreira.

    Beijos Lucy , ah! estou no seu face

    ResponderExcluir