segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

COMPREI UM SAPATO MARAVILHOSO...



Vocês já tiveram vontade de fazer algo que sabiam que não iam conseguir?
Eu ultimamente me deparei com essa vontade, parece futilidade, mas me deu vontade de calçar um sapato de salto alto, daqueles de mulher fatal.
Alguém já imaginou uma pessoa muletante de salto alto? Kkkkk.
Sempre adorei salto, assim que amanhecia já procurava um saltinho para calçar, mas quando apareceu esse meu problema (saude) resolvi doar todos os meus sapatos e sandálias, pensava ser uma forma deu não ficar me lamentando ao olhar para eles.
Hoje procura calçar sandálias confortáveis e que dê mais segurança ao “caminhar”, tipo aquelas sandalinhas para idosos. Ainda bem que hoje em dia tem uns ate que bonitinhos.
Bom mais o salto não saia da minha cabeça. Quando via uma vitrine ficava enlouquecida.
Fiquei matutando se deveria ou não comprá-lo, sabia que não ia usá-lo. Então pensei: Tenho que ter um real motivo para essa aquisição.
Meu ego não esta tão alto, então resolvi dar um up para mudar esse astral, sempre fui assim, resolvida, se algo me incomoda tiro da minha frente, se falta algo busco onde estiver...
Minha norinha é fotografa, ela sempre trabalhou com meu filho, então por que não fazer aquilo que queria muitos anos e nunca tinha feito por falta de tempo. Tempo hoje é o que eu mais estou tendo, então... Vou fazer um book! Isso mesmo um book! Não pretendo esconder minhas muletas e nem mesmo à cadeira, afinal hoje elas fazem parte de mim.
Para ficar perfeito tinha que ter um belíssimo sapato. Lógico que não vou ficar de pé com ele, mas na foto pode tudo.
Ele é preto coberto de swarovski.
Bom, vou realizar dois desejos de uma só vez, vou fazer meu book e usar meu sapato MARAVILHOSO!
Teve hora de eu achar que estou sonhando, mas o que é a vida se não sonhos realizados.
Não vou deixar todos na curiosidade, aqui esta umas fotos dele pra babarem.

Obs. Quando meu book ficar pronto postarei aqui para vocês verem...

Beijinhos

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Enxaqueca xooo você não me pertence...

 
 
 

 
 

Não costumo ter enxaqueca, mas quando me dá não quero ninguém por perto...Estou com ela desde ontem e estou quase louca.
Achei este artigo na net que fala oque é enxaqueca. Achei interressante, pois se você não tem provavelmente conhece alguém que tenha.

O que é enxaqueca 
A enxaqueca é um desequilíbrio químico no cérebro, envolvendo hormônios e substâncias denominadas peptídeos. Esse desequilíbrio resulta de uma série de outros desequilíbrios neuroquímicos e hormonais, decorrentes do estilo de vida e hábitos do portador da doença enxaqueca, e também de uma predisposição genética. O resultado é uma série de sintomas, que podem ir muito além da dor de cabeça. Por sinal, existem casos de crises de enxaqueca sem, ou com muito pouca dor de cabeça. Geralmente porém, a dor de cabeça é o sintoma mais dramático da enxaqueca e sua intensidade, apesar de variável, na maioria dos casos é moderada a severa.
A dor de cabeça da enxaqueca pode ser latejante (pulsátil), em peso, ou uma sensação de "pressão para fora", como se a cabeça fosse explodir.
A localização da dor de cabeça da enxaqueca pode variar de crise para crise; raramente dói sempre no mesmo lugar. A dor da enxaqueca pode ocorrer em qualquer lugar da cabeça, inclusive na região dos dentes, dos seios da face e da nuca, dando origem à confusão com problemas dentários, de sinusite e de coluna.
Os demais sintomas da enxaqueca compreendem náuseas (enjôo), vômitos, aversão à claridade, ao barulho, aos cheiros, hipersensibilidade do couro cabeludo, visão embaçada, irritabilidade, flutuações do humor, ansiedade, depressão (mesmo fora das crises) e lacrimejamento. Um indivíduo não precisa apresentar todos estes sintomas para ter enxaqueca. Normalmente apresenta alguns deles, em graus variados.
A duração de uma crise de enxaqueca é, tipicamente, de 3 horas a 3 dias, seguida de um período variável sem nenhuma dor de cabeça.
A crise de enxaqueca pode ser precedida por uma alteração do humor (euforia em alguns casos, depressão e irritabilidade em outros) e do apetite (vontade de comer doces, ou então perda de apetite), visão embaçada, visão dupla, escurecimento da visão (cegueira parcial) de um ou ambos os olhos, e sensação de estar vendo pontos brilhantes, como se fossem vaga-lumes.
Entre outros sintomas da enxaqueca, estão incluidos diminuição da força muscular de um lado do corpo, formigamentos, tonturas, diarreia, podendo também ocorrer as manifestações visuais já descritas.
A frequência da dor de cabeça da enxaqueca é muito variável, podendo ser desde uma vez na vida, até todos os dias, e até várias vezes ao dia, no caso da cefaléia-em-salvas.
A cefaléia-em-salvas é uma variante rara da enxaqueca, que acomete muito mais os homens.
A dor de cabeça da enxaqueca pode ser muito forte, a ponto de impedir o indivíduo de exercer qualque atividade, obrigando-o a ficar deitado, num quarto escuro, em silêncio, durante horas ou dias. O paciente torna-se muito irritável, preferindo ser deixado sozinho.
Boa parte das crises de enxaqueca terminam com o sono, ou então quando a pessoa vomita (principalmente as crianças). Ao fim de uma crise de enxaqueca, o paciente sente-se como que de ressaca, podendo apresentar, por mais de um dia, tolerância limitada para atividade física e mental.

http://www.enxaqueca.com.br/enxaqueca/enx_perg_oquee.htm

MEU PRIMEIRO SELINHO!! QUE FELICIDADE...

Oi Gente!!!!
Fiquei tão feliz pois ganhei da minha amiga Fabi meu primeiro selinho.
Agoro lógico não posso ser egoísta e ficar com ele só pra mim, então tenho que repassar para dez blogs legais.
  Olha que lindo que ele é!!!!
Tem algumas regrinhas para serem seguidas .

São três.

1) Fazer o post do selinho com o link da Nah, pois foi ela quem fez o selinho!
2) Citar três realizações que quero na minha casa.
     1) Reformar a minha cozinha.
     2) Comprar novos móveis para a sala.
     3) Trocar as cortinas dos quartos.
3) Escolher 10 blogueiras para receber o selinho e avisá-las.
     1) Cantinho da Acácia  acaciadelamare.blogspot.com
     2) .Deficiente Alerta      deficientealerta.blogspot.com
     3) ADAPTE-SE   http://aguiarcm.blogspot.com/
     4) Blog nova vida  eltonpires.blogspot.com
     5) (D) EFICENTE fezago.blogspot.com
     6) Muletas cor de rosa muletascorderosa.blogspot.com
     7) Ser lesado leandroportella2009.blogspot.com
     8) Rodas para que te quero rodaspraquetequero.blogspot.com
     9) Blog do Cadeirante blogdocadeirante.blogspot.com
     10) Casa Coisas e Tal home-boxer.blogspot.com
Agora é preciso avisar essa turminha. Acho que eles ficarão felizes.
Beijos e fiquem com Deus
 

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Participe da feira de troca de livros e gibis em 2011

Feira apresenta sua agenda pela cidade de São Paulo nesse ano. Saiba como participar e adquirir novos itens para sua coleção

Os colecionadores de livros e gibis da cidade de São Paulo podem já ir se preparando. O Sistema Municipal de Bibliotecas, da Prefeitura de São Paulo, anunciou que a Feira de troca de livros e gibis está confirmada para 2011 e já possui agenda definida para o ano todo.
A idéia da feira é colocar em contato pessoas que queriam trocar livros e gibis de suas coleções por outros que ainda não tenham lido. Para isso, o evento é organizado em mesas temáticas, para que os jovens possam fazer a troca. As mesas disponíveis são de literatura geral, literatura infanto-juvenil e gibis.
Além disso, existe também a opção de troca com a mesa. Nessa, basta você deixar algum exemplar e retirar outro à sua escolha. Além das mesas, os usuários podem trocar entre si os exemplares, de acordo com o interesse. A participação na feira de troca de livros é gratuita. Confira a agenda completa de 2011.
Confira o calendário com as feiras programadas para 2011
27 de março - Parque Buenos Aires
Av. Angélica, alt. do nº 1500 - Higienópolis
10 de abril - Parque Lions Club Tucuruvi
Rua Alcindo Bueno de Assis, alt. do nº 500 - Tucuruvi
15 de maio - Parque Anhanguera
Av. Fortunata Tadiello Natucci, 1000, Perus
19 de junho - Parque Lydia Natalízio Diogo
Rua João Pedro Lecor, s/nº, Vila Prudente
17 de julho - Parque Piqueri
Rua Tuiuti, 515, Tatuapé
28 de agosto - Parque do Carmo
Av. Afonso de Sampaio e Souza, 951, Itaquera
18 de setembro - Parque Independência
Rua dos Patriotas, alt. do nº 300 com Av. Nazareth, s/nº, Ipiranga
23 de outubro - Parque Jardim da Luz
Rua Ribeiro de Lima, 99, Luz
27 de novembro - Parque Ibirapuera
Av. República do Líbano, 1151 - Portão 7, Moema
11 de dezembro - Parque Raposo Tavares
Rua Telmo Coelho Filho, 200 - KM 15 da Rod. Raposo Tavares, Butantã

http://juventude.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=3348&q=Participe+da+feira+de+troca+de+livros+e+gibis+em+2011

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

“Vocês me conquistaram, tornaram-se pessoas importantes e agora simplesmente vão embora...”

A despedida...
Não entendo porque temos que nos separar de pessoas  de quem gostamos, mesmo que sabemos que seja pelo bem, temos um sentimento como se perdêssemos algo(no caso alguém).


Gostaria de entender o motivo desse sentimento já que não perdemos algo ou alguém de fato!
Quando alguém consegue deixar esse sentimento nos outros que conviveram com ele é por ter sido muito querido. Deixam uma marca na vida dos outros de algo positivo . AMIZADE
Nossa vida é repleta de emoções, muitas vezes de alegrias outras de tristezas.
Uma das emoções de alegria é quando conhecemos alguém que vai fazer parte da nossa vida . Emoções de tristezas são as despedidas das pessoas que nos conquistaram  mesmo sabendo que por obrigações ou escolha devem seguir outro rumo....
Todas as pessoas tem defeitos, eu e você não somos diferentes,mas com certeza sentimos saudades dos defeitos. Não do defeito propriamente dito mas da pessoa  que carrega consigo aquele defeito e com certeza qualidades.
Você é responsável por mim – diria o Pequeno Príncipe –, pois você conquistou minha amizade e afeto.
Que bom quando temos de quem nos lembrar, de quem sentir saudades e a quem agradecer por ter feito parte de nossa história e por nos ajudar a ser quem somos hoje, este conjunto de retalhos da vida que passou… e que segue.
 Agora assuma sua responsabilidade! Eu bem que gostaria, mas é a vida que não deixa. Ela tem uma lógica própria que não respeita os viventes . A lógica da vida é que temos que seguir nossos rumos, fazer nossa parte dentro do grande agrupamento humano. A vida segue seu curso e nós ficamos chorando nossas perdas nas esquinas, mesmo sabendo que há novas conquistas ao atravessar a rua.

(baseado no pequeno príncipe)


Dedico este texto a todos aqueles que faz parte da minha história seja presente ou ausente.

beijos

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

O selo de deficiente não tem valor legal nenhum...

 
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes/autorizacoes_especiais/

De tanto as pessoas tentar fraudar o direito do deficiente o selo perdeu o valor legal já que qualquer um pode compra-lo em bancas de jornais, papelarias, etc...

Agora temos o cartão de vaga especial que é aceito em todo territorio nacional.
São 2 tipos de cartões: o de idoso e do deficiênte físico.
Temos direito (não privilégio) mas também temos que "andar" na lei. Hoje a lei é ter o cartão.

Cartões de estacionamento Para Deficientes
* O que é o Cartão DeFis-DSV?
É uma autorização especial, gratuita, paso ra o estacionamento de veículos em via pública e zona azul, em  vagas especiais  -- demarcadas com o Símbolo Internacional de Acesso, para pessoas com deficiência de mobilidade obrigadas ou não a usar cadeira de rodas, aparelhagem ortopédica ou prótese, temporária ou permanente. É regulamentado pela portaria DSV/G. n.º 014/02, de abril de 2002.
* Quem tem direito a esta autorização?
O Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) emite o Cartão DeFis-DSV para:
  • Portadores de deficiência física ambulatória no(s) membro(s) inferior(es);
  • Portadores de deficiência física ambulatória autônoma, decorrente de incapacidade mental; (quando o portador não pode assinar, há a necessidade de apresentação de documento de representação legal como: Interdição, Curatela ou Procuração)
  • Pessoas com mobilidade reduzida temporária, com alto grau de comprometimento ambulatório, inclusive as com deficiência de ambulação - temporária - mediante solicitação médica.
* Como obter o requerimento do Cartão DeFis-DSV?

- Comparecer ao setor de Autorizações Especiais do DSV (DSV-AE), na rua Sumidouro, 740, em Pinheiros - CEP 05428-010-, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h e apresentar os seguintes documentos:
  • Formulário de requerimento do Cartão DeFis-DSV;
  • Formulário de atestado médico que comprove a deficiência física ambulatória ou a mobilidade reduzida, contendo a respectiva indicação de acordo com o Código Internacional de Doenças (CID), o carimbo, o CRM e a assinatura do médico, com data de emissão não superior a três meses. O requerente deve entregar o formulário original ou uma cópia, autenticada ou simples -- neste último caso será preciso apresentar o original. 
  • Cópia simples da Carteira de Identidade (ou de documento equivalente) do portador de deficiência física ambulatória ou com mobilidade reduzida e do seu representante, quando for o caso. Este último deve apresentar cópia simples de documento comprovando ser representante do portador de deficiência física ou com mobilidade reduzida.
Dúvidas, ligue para: (11) 3812-3281 ou (11) 3816-3022.  . (SÃO PAULO)

* Onde retirar o Cartão DeFis-DSV?
No DSV-AE (mesmo endereço acima), de segunda a sexta, das 9h às 17h.
* O que é preciso observar no uso diário do cartão?
Além das regras de trânsito vigentes e daquelas estabelecidas pela sinalização local, deverão ser respeitadas rigorosamente as "Regras de Utilização" contidas no verso do cartão DeFis-DSV.
Nas vagas especiais situadas em áreas de Zona Azul, o usuário deve utilizar, além do Cartão DeFis-DSV, o cartão de Zona Azul.
Obs.: o cartão DeFis-DSV não dá direito ao uso da vaga gratuitamente.
Vale lembrar que o Cartão DeFis-DSV poderá ser utilizado como referência para estabelecimentos particulares, que reservem vaga específica de estacionamento demarcada com o Símbolo Internacional de Acesso.
Fonte: Site da Prefeitura Municipal de São Paulo – www.prefeitura.sp.gov.br 
Pela nova regra, todos os municípios brasileiros passarão a adotar um modelo único de credencial definido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Para adquirir essa nova credencial, idosos e deficientes precisam fazer ou refazer o cadastro no órgão de trânsito municipal ou no Detran. Em alguns Estados, a apresentação da carteirinha não isenta o pagamento da taxa de estacionamento da Área Azul.
O cartão será apreendido ou cancelado se constatado:
• Empréstimo do cartão 
• Uso de cópia;
• Porte do cartão com rasuras ou falsificado;
• Uso em desacordo com as regras previstas na lei;
                                                              • Uso do cartão com a validade vencida.


Cartão do Idoso
Autorização especial para estacionamento em vagas sinalizadas com a legenda “IDOSO”.
O que é Cartão Idoso?
É uma Autorização Especial para o estacionamento de veículos, conduzidos por idosos ou que os transportem, nas vias e logradouros públicos, em vagas especiais devidamente sinalizadas para este fim.
.Nas vagas especiais, em área de estacionamento rotativo pago Zona Azul, além do Cartão Idoso, o usuário deverá utilizar também o Cartão Zona Azul.

O benefício foi regulamentado pela Portaria SMT.GAB nº 017/10, de 13/03/10.
Quem tem direito ao Cartão Idoso?
As pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, condutoras ou passageiras de veículos automotores e residentes no Município de São Paulo
Como solicitar o Cartão Idoso? 
O SUAE - Sistema Unificado de Autorizações Especiais é o sistema de informação que emite o cartão do Idoso. Se for seu primeiro acesso, entenda passo a passo como deverá proceder para solicitar o cartão:
1. Fazer seu cadastro como Requerente – para acessar o SUAE, é necessário fazer seu cadastrado como “Requerente” (pessoa física que deseja requerer alguma autorização especial ao DSV);
2. Acessar o sistema – os dois últimos dados solicitados no cadastro do requerente são obrigatórios para acessar o sistema:
a. Usuário – dado que identifica cada requerente no sistema SUAE. Informe o seu CPF para este campo ou qualquer outro dado que sirva para sua identificação.
b. Senha - A senha deverá ter no mínimo quatro e no máximo oito caracteres.
c. Atenção, pois serão consideradas na validação da digitação do usuário e senha, as letras maiúsculas e minúsculas.
 
3. Solicitar Novo Requerimento de Idoso – somente um requerimento por requerente (Idoso) será possível ser cadastrado e duas condições serão verificadas:
a. Requerente (Idoso) deverá residir no município de São Paulo;
b. Requerente deverá possuir idade mínima de 60 (sessenta) anos, através da data de nascimento informada no seu cadastro.
 
4. Acompanhar a situação do seu requerimento pelo sistema – a qualquer momento o requerente poderá consultar o status atual do seu requerimento pelo próprio sistema, clicando na opção “Consultar Requerimentos”;

5. Se o requerimento for “Deferido”, após 10 dias do deferimento você  poderá retirar seu cartão no DSV.

Dúvidas: ligue 156 - PARA SÃO PAULO CAPITAL
O que é preciso observar no uso diário do cartão?
Além das regras de trânsito vigentes e daquelas estabelecidas pela sinalização local, deverão ser respeitadas rigorosamente as “Regras de Utilização” contidas no verso do Cartão Idoso.

O Cartão Idoso emitido pelo DSV-AE poderá ser utilizado como referência para estabelecimentos particulares, que reservem vaga específica de estacionamento para pessoas idosas.
Fonte: Site da Prefeitura Municipal de São Paulo – www.prefeitura.sp.gov.br

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Carta do inferno - video


Boa noite a todos!
Sei que hoje é sexta feira, dia de mandar mensagens lindas ,melosas, etc...mas quando ví este video ví o quanto é real.
Vamos aproveitar o final de semana para refletir como estamos agindo isto é como estamos sendo cristãos no dia de hoje em que a "rotina" e o "lazer" nos consome e não queremos nos comprometer com nada?

Sei que um pouquinho demorada mas peço para que assistam. 


 




http://www.youtube.com/watch?v=KN9ZI4sdjzY&feature=related

Desejo um abençoado final de semana a todos.


Márcia Pitelli

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Dicas de passeios com acessibilidade


Como postei aguns dias atrás, ando sentindo muita dificuldade nas minhas saidas. Talvez seja por ser nova no quesito de Pessoas portadoras de Necessidades Especiais.
Hoje estava na Net, afinal nesse quesito ninguem fica em desvantagem e lá achei uma pequena lista de lugares acessiveis de fato.
Já fui a um cinema que o espaço para cadeirante é quase embaixo da tela, sai com uma baita dor no pescoço.
                        Opções de lazer e cultura exemplares em acessibilidade.
http://4.bp.blogspot.com/_9Jfv05vlmaU/TBY7Pd5GAwI/AAAAAAAAAFA/p6fDjXDeNrk/s1600/deficiencia%5B1%5D.jpg Centro Cultural Vergueiro
Piso podotátil, rampas e biblioteca em braille.
R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, tel. 3397-4002.

Cinermark Villa Lobos
Espaço reservado a cadeirantes na parte de trás da sala.
Av.das Nações Unidas, 4.777, Piso Lazer, tel. 3024-3860

Jardim Botânico
Passeio no Jardim dos Sentidos – há carros elétricos para quem tem dificuldade de locomoção.
Av. Miguel Stéfano, 3.031, Água Funda, tel. 5073-6300

Mercado Municipal
Pistas podotáteis e elevadores para o mezanino.
R. da Cantareira, 306, Parque Dom Pedro II, tel. 3326-6664

Museu da Língua Portuguesa
Audiodescrição e intérprete de linguagem de sinais (libras).
Praça da Luz, s/no, Luz, tel. 3326-0775

Museu do Futebol
Acesso a cadeirantes, piso podotátil e intérprete de libras.
Praça Charles Miller, s/no, Pacaembu, tel. 3663-3848

Parque da Juventude
Acessibilidade universal e biblioteca adaptada.
Av. Zaki Narchi, 1.309, Santana, tel. 2251-2706

Parque Villa Lobos
Acessibilidade universal, com rampas sobre gramados.
Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2.001, Alto de Pinheiros, tel. 3023-0316

Pinacoteca
Galeria Tátil de Esculturas Brasileiras, material de apoio em braille e audioguia. Visitas orientadas ao acervo, com agendamento prévio.
Praça da Luz, 2, Luz, tel. 3324-0945

Teatro Vivo
Peças com audiodescrição e legendas. Deficientes auditivos e visuais devem se cadastrar e chegar 30 minutos antes.
Av. Dr. Chucri Zaidan, 860, Morumbi, tel. 2626-0867

Theatro São Pedro
Óperas com audiodescrição. Limite de 15 pares de ingresso para pessoas com deficiência por espetáculo.
R. Barra Funda, 171, Barra Funda, tel. 3667-0499

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Lesão medular- Explicação

Lesão Medular Traumática – Objetivos Funcionais
As informações a seguir devem ser interpretadas como um guia geral. Cada paciente é único e mesmo duas pessoas categorizadas como o mesmo nível de lesão nem sempre apresentam o mesmo quadro funcional.
Cada subdivisão foi feita considerando lesão medular completa no nível neurológico. Ou seja: quando o texto se referir a uma lesão em T1, por exemplo, significa que todos os segmentos acima de T1 estão preservados)
Dito isso, vamos ao que interessa:
TETRAPLEGIA

NÍVEIS C1-C3
Indivíduos com lesão completa C1-C3 (tetraplegia alta) tem controle dos movimento da cabeça e pescoço. A característica mais marcante de lesões desta altura é a necessidade de suporte ventilatório mecânico devido à perda da inervação do diafragma. Esses indivíduos podem eventualmente se beneficiar da FES do nervo frênico para reduzir sua necessidade de ventilação mecânica.
Habilidades: Movimentos limitados de cabeça e pescoço
Objetivos Funcionais:
Respiração: Depende de um ventilador ou um implante para controlar a respiração.
Comunicação: Em geral estes pacientes são traqueostomizados, o que influencia a capacidade de fala, aqual pode ser difícil, muito limitada ou mesmo impossível. Se a habilidade de falar é limitada, a comunicação pode ser realizada por meio de tecnologias assistivas, como um computador com software para falar ou digitar (semelhante ao que o Fisico Stephen Hawkings usa). A comunicação verbal permite ao indivíduo com lesão medular interagir com os cuidadores durante atividades como banho, vestuário, higiene pessoal, transferência, bem como a gestão de bexiga e intestino.
Tarefas Diárias: Tecnologia Assistiva permite independência em tarefas como virar páginas, usar telefone e utilizar e equipamentos.
Mobilidade: Pode operar uma cadeira de rodas elétrica, usando um controle de cabeça, bastão na boca ou controle no queixo.

NÍVEL C4
Pessoas com uma lesão ao nível de C4 possuem boa parte ou toda a inervação do diafragma reservada. Estes pacientes podem não precisar de assistência ventilatória de longo prazo, embora não seja incomum a receber ventilação mecânica inicialmente após a lesão. Pacientes com lesões de C1 a C4 irão depender da ajuda de outros em quase todas as suas necessidades de mobilidade e auto-cuidados, embora possam ser capazes de usar uma cadeira de rodas motorizada com o queixo ou controles adaptados (bastão bucal ou sopro).
O ideal é que os pacientes sejam capazes de se comunicar com os cuidadores sobre as suas necessidades de mobilidade, bem como sobre o auto-cuidado e da bexiga e / ou cuidados intestino.
Habilidades:Normalmente tem o controle dos movimentos de cabeça e pescoço. Indivíduos com o nível C4 podem encolher os ombros.
OBJETIVOS FUNCIONAIS:
Respiração: Podem necessitar de suporte ventilatório para respirar. Entretanto é possível respirar espontaneamente uma vez que a inervação do diagfragma está quase toda preservada.
Comunicação: Verbal, mas pode ter a projeção de voz mais fraca.
Tarefas Diárias: Com equipamentos especializados, alguns podem ter independência limitada na alimentação e operar de forma independente uma cama ajustável com um controle adaptado.

NÍVEL C5
Indivíduos com tetraplegia C5 possuem uso funcional da flexão de cotovelo. Com a ajuda de dispositivos de assistência especializada, tais como órteses de punho ou a mão que lhes permitam segurar objetos, estas pessoas podem alcançar a independência na alimentação e higiene. A fisioterapia é importante para prevenir contraturas de flexão de cotovelo e supinação do antebraço causada pela atividade do bíceps sem oposição. Pacientes com lesão em C5 podem ajudar na mobilidade e vestuário.
Embora possam utilizar cadeira de rodas manual com adaptações para serem tocadas, provavelmente uma cadeira de rodas motorizada com controles manuais será necessária para a maioria das suas necessidades de mobilidade. Os pacientes necessitam de assistência para a maioria dos auto-cuidados, para a mobilidade, transferência e para o manejo das funções vesicais e intestinais. A tecnologia assistiva desempenha um papel importante na maximização do controle do ambiente, ajudando o paciente a ajustar a altura da cama, atender telefones, usar computadores, acender e apagar luzes e televisores.Dirigir um veículo especialmente adaptado é possível.
Habilidades: Normalmente tem o controle dos movimentos de cabeça, pescoço e ombros. Podem fletir os cotovelos e realizar supinação de antebraço.
OBJETIVOS FUNCIONAIS:
Tarefas Diárias: Independência para comer, beber, lavar o rosto, escovar os dentes, barbear rosto e cabelos após assistência na montagem de equipamentos especializados.
Cuidados de Saúde: É possível realizar alguns dos auto-cuidados de saúde, como tosse auto-assistida e alívio de pressão ao inclinar-se para frente ou para os lados.
Mobilidade: Pode empurrar uma cadeira de rodas manual em curtas distâncias sobre superfícies lisas. A cadeira de rodas motorizada com controles de mão é normalmente utilizado para as atividades diárias. Dirigir pode ser possível após serem avaliados por um profissional qualificado para determinar as necessidades de equipamentos especiais

NÍVEL C6
Indivíduos com tetraplegia C6 têm, além do controle motor do bíceps braquial, a função adicional de extensão do punho. Isso permite o uso da tenodese (flexão passiva dos dedos da mão e adução do polegar durante a extensão ativa de punho). O paciente deve evitar o alongamento excessivo dos flexores dos dedos, pois limita a ação da tenodese.
C6 é o nível mais alto no qual os pacientes podem ter uma lesão completa e ainda assim obter independência funcional, sem o auxílio de um cuidador, embora essa situação não seja comum.
Indivíduos com lesões a este nível pode alcançar níveis consideráveis de independência funcional em termos de alimentação, higiene, banho, cama e mobilidade por meio de adaptações. Eles podem vestir a parte superior do corpo de forma independente e ajudar a vestir a parte inferior.
Podem realizar transferência da cama para cadeira utilizando uma prancha de transferência. O cateterismo intermitente para o cuidado da bexiga pode ser possível com dispositivos adaptados, embora não seja comum e seja tecnicamente mais difícil para as mulheres do que para homens.
Cadeiras de rodas manuais com adaptações para facilitar o apoio das mãos podem ser utilizada para a mobilidade comunitária, embora os pacientes possam preferir uma cadeira de rodas motorizada. Conduzir um veículo adaptado com algumas adaptações, como um elevador personalizado e controles manuais, é uma opção. Pacientes com lesões C6 podem ser independentes na utilização de um telefone, escrita e digitação (com dispositivos adaptados).
HABILIDADES:Controla movimentos de cabeça, pescoço, ombros, braços e pulsos. Pode encolher os ombros, fletir os cotovelos, supinar e pronar o antebraço e estender os punhos.
OBJETIVOS FUNCIONAIS:
Tarefas Diárias: As tarefas diárias de alimentação, banho, limpeza, higiene pessoal e limpeza podem ser executadas com maior facilidade utilizando alguns equipamentos especializados.
Cuidados de Saúde: É possível fazer verificações independentes da pele, realizar o alívio de pressão, e virar na cama.
Mobilidade: Alguns indivíduos podem fazer transferências de forma independente, mas muitas vezes é necessária uma placa de deslizamento. É capaz de usar uma cadeira de rodas para as atividades diárias, mas pode usar cadeira de rodas motorizada para maior facilidade e independência.

NÍVEL C7
Com o uso de dispositivos adaptados, também podem se tornar independente em matéria de higiene, limpeza extremidade inferior, e cuidado intestinal. Os indivíduos com uma lesão em C7, especialmente as mulheres, podem precisar de ajuda com o cuidado da bexiga (p.ex., cateterismo intermitente). Podem também ser independentes, com ou sem dispositivos auxiliares, para escrita, digitação, virando as páginas, atender telefones, e usar os computadores.
HABILIDADES: Tem movimentos semelhantes ao de um indivíduo com nível C6, com capacidade adicional para estender os cotovelos.
OBJETIVOS FUNCIONAIS
Tarefas Diárias: É capaz de executar tarefas domésticas. Necessita de menos ajuda adaptada para vida independente.
Cuidados de saúde: Capaz de fazer elevação de pelve na cadeira de rodas para alívio de pressão.
Mobilidade: O uso diário de cadeira de rodas manual. Pode fazer transferências com maior facilidade.
Indivíduos com tetraplegia C7 têm a capacidade de estender o cotovelo, o que aumenta a sua mobilidade e habilidades de auto-cuidados. Estes pacientes podem conseguir a independência na alimentação, em vestir a parte superior do corpo, tomar banho, mobilidade na cama, transferências e de propulsão de cadeira de rodas manual na comunidade.

NÍVEL C8
Indivíduos com tetraplegia C8 têm controle para flexão dos dedos, o que melhora a sua independência em termos de preensão manual. Eles podem atingir a independência na alimentação, higiene, em vestir os membros superiores e inferiores, tomar banho, mobilidade, transferências, propulsão de cadeira de rodas manual, e auto cuidados da bexiga e do intestino de cuidados, bem como digitação, atender telefones, e usar os computadores.
HABILIDADES:Tem mais força e precisão nos movimentos dos dedos, resultando em função manual limitada ou natural.
OBJETIVOS FUNCIONAIS
Tarefas Diárias: Pode realizar as atividades diárias de forma independente, sem necessidade de dispositivos de auxílio na alimentação, banhos, higiene bucal e facial, e cuidados com a bexiga e intestino.
Mobilidade: Usa cadeira de rodas manual. Pode transferir de forma independente.

PARAPLEGIA
NÍVEIS T1-T12
Os indivíduos com paraplegia T1-T12 tem inervação e função de todos os músculos da extremidade superior, inclusive para a função da mão. Eles podem conseguir a independência funcional em autocuidados (incluindo tarefas domésticas e preparação de refeições), no manejo da capacidade da bexiga e intestino, e em todas as necessidades de mobilidade utilizando cadeira de rodas. é importante notar que quanto mais baixo o nível neurológico, melhor será o equilíbrio do tronco e á efetividade da tosse. Os indivíduos devem receber treinamento avançado de cadeira de rodas, para que possam passar por superfícies desniveladas, terrenos acidentados, rampas e calçadas, bem como transferências do chão para a cadeira de rodas.
Os indivíduos com uma lesão T9-T12 têm controle de tronco variável (dos músculos paravertebrais e abdominais), e eles podem ser capazes de deambular usando órteses HKAFO, juntamente com um andador ou muletas. Pessoas com uma lesão em T10-T12 tem um melhor desempenho, e podem até tentar subir e descer escadas. Infelizmente, o uso destas órteses requer gasto de energia extrema e pode sobrecarregar os membros superiores, causando lesões. POr causa disso, muitas pessoas podem preferir a mobilidade de cadeira de rodas.
HABILIDADES:Tem a função motora normal de cabeça, pescoço, ombros, braços, mãos e dedos. Tem uma maior utilização das costelas e controle de tronco.
OBJETIVOS FUNCIONAIS
Tarefas diárias: Possui um alto nível de independência em quase todas as atividades.
Mobilidade: Alguns indivíduos são capazes de marcha limitada utilizando órteses longas. Isto requer grande gasto energético e exige muito da parte superior do corpo, não oferecendo nenhuma vantagem funcional. Pode levar a danos às articulações dos membros superiores.

NÍVEIS LI-L5 – ESTE É O MEU
Indivíduos com lesão lombar podem conseguir a independência funcional para a mobilidade, autocuidados e manejo da bexiga e do intestino. O treinamento avançado em cadeira de rodas (como mencionado acima) deve ser realizado.
Os pacientes com esta lesão pode dirigir de forma independente, usando um carro adaptado com controles manuais. Os indivíduos com uma lesão ao nível da coluna lombar podem se tornar funcionalmente independentes em termos de família e deambulação comunitária, que é frequentemente definido como a deambulação sem auxílio para distâncias superiores a 150 pés (aproximadamente 45 metros), com ou sem o uso de aparelhos e dispositivos de assistência.
Aparelhos ortopédicos (KAFOs e órteses tornozelo-pé) são frequentemente prescritas para ajudar estes pacientes a andar. Porém o uso de uma cadeira de rodas manual em parte do tempo é muitas vezes necessário.
HABILIDADES:Apresenta algum grau de controle dos movimentos de quadris e joelhos.
OBJETIVOS FUNCIONAIS
Mobilidade: Caminhar pode ser uma função viável, com a ajuda de órteses de perna e tornozelo. Níveis mais baixos de lesão podem caminhar com maior facilidade com as órteses.

NÍVEIS S1-S5
HABILIDADES: Dependendo do nível da lesão, existem vários graus de retorno voluntário da bexiga, intestino e das funções sexuais.
OBJETIVOS FUNCIONAIS
Mobilidade: Maior capacidade de andar com poucos ou nenhum dispositivo de apoio

serlesado.com.br/wp-content/uploads/2011/02/traumatismo-raqui-medular.jpg
Fonte: O Guia do Fisioterapeuta