sábado, 22 de novembro de 2014

Parabéns Richard e Sandra!!

Sandra e Richard
Muito mais do que parabéns pelo dia de hoje, parabéns pelo dia diário!!!
Chegar aos 25 anos de convivência no dia de hoje tem ser muito comemorado viu!
Hoje fiquei a pensar em suas vidas. Duas crianças se casando e sem nem mesmo pensar no futuro. Um muleke que estufou o peito, levantou a cabeça e disse que queria casar, kkk
Uma menina, provavelmente super vaidosa, sem nem se quer imaginar como era cuidar de uma família, assustada, casando...
Tão jovens e tão maduros.
Lógico que provavelmente tiveram apoio da família, pelo menos da maioria, que mesmo falando, e devem ter falado muito, o ajudaram de alguma forma.
Provavelmente em alguns momentos passaram por perrengues, e talvez passem até hoje, mas soube e sabem lidar com estes contratempos com sabedoria.
Casamento é isso mesmo!!! Muitas vezes falam que o principal é o amor Mas não acho não!! O principal é o perdão diário. Temos que perdoar os maus jeitos do outro, as toalhas molhadas em cima da cama, os atrasos pro almoço de domingo, seja por futebol ou shopping,kkk
Sabe Sandra e Richard, os familiares foram importante sim e ainda são , também não podemos esquecer da importância dos amigos que passaram por suas vidas. Muitos deles rezaram e ainda rezam pela felicidade de vocês.
Nós, eu e o Ma, nos tornamos amigos-irmãos de vocês, dentro da igreja, quando buscávamos respostas a dúvidas que eram muitas, na catequese. Lembro que em todo o domingo vocês, principalmente o Ri tinha alguma pergunta  sobre algo da fé. Passaram algum tempo de convivência a dois, vocês resolveram casar na igreja. Eu e o Ma, estávamos lá para presenciar a felicidade de vocês naquele momento.
Hoje, 25 anos de vida matrimonial onde foram assinar um papel sem nem mesmo saber o tão importante e significativo, caminhar a dois, o matrimonio seria.
Família linda, dois filhos e um cachorro. Exemplo de fé, de amor , de perdão, de companheirismo, de amigos e de casal.
Hoje em especial digo que amo vocês e mesmo longe meu pensamento está em vocês.
Que Deus continue presente nesta união.
Amo muito vocês!!

Um grande beijo.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Cada um com a sua adrenalina


Oi pessoal.

Cheguei as 6 horas na cidade e mais ou menos 6 e 1/2 na casa dos meus pais.

Quando o ônibus parou lá estavam, minha mãe e meu primo-cumpadi.

O caminho foi tudo bem, sem nada de diferente, exceto que não consegui dormir nem um minutinho sequer. Insônia, ansiedade, sei lá!! Também estou com muito espasmos musculares, coisinha que incomoda!!!

Encontrei todos muito bem, Graças a Deus. Meu pai anda meio cansado ou preguiçosinho, sei lá! Acho que a barra que enfrentou deixou o cansaço de resquício. Se Deus quiser, logo ele volta a sua rotina.

Já beijei muito papito e mamusca e disse, muitas vezes, te amo te amo te amo.

A casa deles é show! É espaçosa e rodo em todos os cômodos. Isso para quem é lesado é como se tivesse num parque de diversão.

Mas as coisas, nesta viagem, não foram tão simples assim. Como disse anteriormente, viagem sempre tem adrenalina, kkk

Ontem à noite, cheguei faltando uns 20 minutos para eu embarcar. Foi na Rodoviária Barra Funda- SP. Mas como na maioria das vezes, deu zica...  

Cadeirantes tem que entrar pela lateral da rodoviária. Não tem acesso pelas rampas até a plataforma. Então, o portão que deveria entrar fica ao lado de onde fica os malaqueiros (pessoas que carregam malas, não estou xingando, kkkk ).

Não é permitido nem trafegar por onde os malaqueiros passam. Tem que ser por aquele, dito portãozinho, que uma única pessoa tem a chave. Você não entendeu errado; UMA ÚNICA PESSOA TEM A CHAVE.

Chamaram o indivíduo, várias vezes, pelo rádio, já que era o portador da chave daqueles dois cadeados que estavam num único portão que me impedia de chegar até o ônibus.

Imagina eu de um lado da plataforma e vendo o ônibus parado e todo mundo entrando. Pensei que já tinha perdido o ônibus mas como um milagre o motorista permaneceu ali, imóvel, sem pressa alguma.

Meu marido, que me acompanhou até a rodoviária, ficou muito nervoso e por isso euzinha tive que manter a calma, afinal, quando um perde as estribeiras o outro tem que controlar a situação.

Quando, finalmente abriu o portão, saímos feito uns doidos atravessando pelo meio das plataformas e desviando das pessoas. Meu marido carregando uma mala, de rodinhas, e eu rodando e gritando; - Sai da frente, sai da frente, dá licença!!!

Quando finalmente chegamos na minha plataforma o motorista, que estava ali no mesmo lugar que a quase 25 minutos atrás, de pé encostado num balcãozinho falou que não ia sair dali enquanto eu não chegasse. Disse que estava me vendo e percebeu que era a pessoa que estava faltando em seu ônibus.

Com ajuda do meu maridão consegui entrar no ônibus e com muito ciúmes precisei deixar colocar minha cadeira no bagageiro. Nessa hora vem a preocupação de como será que vão tratar minha companheira de todos os dias.

Engraçado, como criamos um sentimento por uma coisa. Agora entendo as falas de muitos lesados da net que se refere as cadeiras como parte do corpo.

Depois que eu estava acomodada, maridão foi embora, fiquei pensado na cena e dando risada sozinha. Sei que coisas deram erradas mas preferi valorizar a atitude do motorista.

Todas as paradas ele ia me perguntar se eu estava precisando de algo ou mesmo se queria descer um pouco, se oferecendo em me ajudar.

Sabe de uma coisa, viagem sem adrenalina não tem graça. Tem que acontecer algo para darmos risada e prestarmos atenção nas coisas boas que acontecem em nosso redor.

Graças a Deus, na minha vida aparece mais gente legal.

Só sei que cada vez que saio e acontece algo, engraçado ou atrapalhado, fico com a sensação de vitória, de liberdade, de coração leve e de saber que posso muito mais do que imagino.

É isso aí.

 

Beijinhos e fiquem com Deus.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Meu coração está na boca!!!



Hoje, vou viajar.

Até que enfim vou visitar meus pais e ficar alguns dias com eles.
Estou ansiosa tanto para vê-los como para chegar e desembarcar. Vou sozinha... e mais uma porção de pessoas estranhas, kkkk
Embarcarei as 23 horas e chegarei as 6 da matina. São 550 Km de distância...Aff!!
Acho que agora vocês entendem o motivo de estar com o coração na boca né?
Pena que os ônibus de viajem que se dizem adaptados tenha um degrau enorme, que mais parece o Monte Everest, para chegar até a poltrona.
Já fui pra lá a mais ou menos 1 ano atrás mas estava andando de muletas com mais facilidade. Hoje não sei como vou subir, já que a cadeira não entra, sendo que o corredor é mega estreito. 
Lógico que comprei a tal passagem para defis mas vamos falar a verdade: de adaptada não tem nada...
Quando chegar conto pra você como foi a aventura, isto se eu não dormir antes mesmo de sair de Sampa e acordar na rodoviária de lá.  Se isso acontecer a aventura se limitará a subir e descer do ônibus,kkk


Beijinhos e fiquem com Deus.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Agora é definitivo. VOLTEI!!

Oi pessoal, estou de volta!!
Não sei nem o motivo que me levou a abandonar o blog. Tantas coisas aconteceram neste tempo.
Quando deixamos de fazer algo e o tempo nos engole fica difícil dar continuidade de onde paramos. Por isso gosto de pensar que daqui deste post vai ser o inicio (novamente).
Acho que um dos motivos foi familiares que me levou a abandonar o blog. Meu irmão foi morar no céu e isso me tirou  do eixo por muito tempo mesmo. 
Escrevi muitas e muitas coisas, mas não publiquei. Não tive coragem (isso mesmo) de publicar meu lado lado, carente e triste com a vida.
Bom mas como dizem os sábios, o tempo cura. Lógico que sinto muito a falta dele e com certeza algumas vezes vou citá-lo, mas com um gosto de saudade e não tristeza.
Hoje entendo a fala; - Deus conforta! Só Ele mesmo...
Bom, o tempo passou e como disse , muitas coisas aconteceram. Nesse tempo passei por mais algumas cirurgias. Foi tudo bem, afinal estou aqui,kkk
Hoje estou cadeirante definitivamente. Não consigo mais me apoiar nas muletas nem num pequeno espaço. Adaptações e adaptações na vida.
Não sofri por isso. Penso que foi até bom, pois, assim não fico tão cansada como antes.
Depois coloco aqui no blog como foi as cirurgias e principalmente quero colocar(e logo) como foi a Bodas de Ouro de meus pais que eu organizei.
Bom amigos, por hoje é isso e prometo que pelo menos um post por semana vai ter.


Beijos a todos e fiquem com Deus.

sábado, 19 de outubro de 2013

Para sempre vou te amar...




 

Sabe, hoje é um dia muito especial. Há 28 anos estava casando. Isso mesmo, meu aniversário de casamento.
Nestes 28 anos passamos por muitas coisas difíceis. Quando falo coisas difíceis me refiro a tantas coisas tristes que passamos juntos. A vida não foi SÓ generosa conosco. Mas o importante é que passamos por tudo muito unidos e cada dificuldade que aparecia servia para que nos amássemos ainda mais.
Quero contar do companheirismo que me fortaleceu. Quando estava hospitalizada, no auge das crises, sentia uma dor que mal conseguia dormir.
Logo cedo, muitas vezes eu ainda com os olhos fechados (gostava de ficar assim) ouvia as pegadas no corredor que vinha em minha direção. Era meu amor que mal amanhecia já estava lá com pãozinho, café com leite que comprava na lanchonete para tomar seu café da manhã comigo.
Ele poderia ficar em casa dormindo um pouco mais, afinal, ele teria que trabalhar depois e seus dias eram bem puxados. Não, ele fazia questão de manter esta rotina. Fazia questão de ser o primeiro a olhar nos meus olhos. Sabe, o olhar diz muitas coisas.
Muitas vezes não consegui tomar aquele café e ele simplesmente não falava nada, só ficava segurando minha mão e muitas vezes num silêncio que ecoava naquele quarto. Era como se ele sentisse a minha dor. Talvez ele nem tenha se dado conta de como esta atitude foi importante para minha recuperação, para eu não desistir. Com aquela atitude eu me esforcei  para cada manhã que ele chegasse me encontrasse melhor. Daquela minha atitude dependia a qualidade do dia dele.  Mas uma vez eu fiz e lutei por ele.
A luta não acabou quando sai do hospital, ela só começou. Foram várias cirurgias e a vida de ponta cabeça e com tudo isso me sentindo cada vez mais amada. Ele sempre esteve e está ao meu lado e até hoje ele toma café da manhã juntinho comigo.
Hoje quando penso que 28 anos se passaram vejo que foram os melhores anos da minha vida. Peço a Deus que eu consiga fazer ele cada vez mais feliz.
Amor é isso, é doação. Um dia um amigo descreveu o que vinha a ser o casamento e hoje vejo como é real isso. Amor é doação mesmo, é a maior doação que existe. Os dois (casal) tem que pensar assim e agir assim. Se eu vivo para fazer o meu marido feliz e ele vive para me fazer feliz dará tudo certo. Não se deve casar e pensar em ser feliz e sim em fazer o outro feliz.
Hoje agradeço a Deus com os olhos lacrimejando. Obrigado Meu Deus por ter colocado em minha vida este homem maravilhoso.

Mairton te amo.


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Oi pessoal



photo 
Oi pessoal, como prometi, aqui estou eu de volta.
A vida passa rápido demais para ficarmos nos lamentando. Muitas coisas me aconteceram, mas hoje vou falar de uma coisa maravilhosa.
Em março fiz mais uma cirurgia, que desejo que seja a última. Correu tudo bem, Graças a Deus, e melhor ainda foi o resultado. Desde março não sinto mais aquelas dores loucas.
Tirei tumores e hérnia gigante que se formou devido ao esforço abdominal que faço. O médico me orientou e foi colocada uma tela de fora a fora em torno de abdômen para melhorar minha postura, respiração e evitar futuras hérnias. O corte foi um deitado de 60 cm e um em pé de 40 cm. A recuperação foi perfeita, mesmo tendo um imprevisto no corte de pé. Ele abriu e precisou, mais uma vez, ser fechado de dentro para fora e tive mais uma vez que ficar em repouso absoluto.  Isso já havia acontecido numa cirurgia anterior por isso não me assustei e já sabia os procedimentos.
Só sei de uma coisa que desde março estou sem Metadona e isso me deixa muito feliz.
Estou começando a fazer planos de verdade. Faço planos de curto, médio e longo tempo.
Sábado agora, vou à autoescola começar de fato a tirar minha carta. Estou morrendo de medo, mas sei que vou conseguir.
Também não posso deixar de contar que fui viajar sozinha... Meu maridão me levou até a rodoviária e só fui descer no meu destino, Votuporanga, a 550 quilômetros de distância. Fui para a casa dos meus pais para resolver alguns detalhes das bodas de ouro deles que euzinha estou organizando.  
Minha cabeça está a mil, tenho que preparar muitas coisas e colocar minha vida em dia também. Quero tirar carta para ter mais autonomia e não depender tanto da família.
Pretendo não abandonar mais meu blog e voltar a conseguir colocar nele meus sentimentos. Ainda estou um pouco que bloqueada, mas sei nos próximos post estarei inteira novamente. 

Beijinhos a todos e fiquem com Deus.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Se alguém disser pra você não cantar
Deixar seu sonho ali pro um outra hora
Que a segurança exige medo
Que quem tem medo Deus adora
Se alguém disser pra você não dançar
Que nessa festa você tá de fora
Que você volte pro rebanho.
Não acredite, grite, sem demora...
Eu quero ser feliz Agora (2x)
Se alguém vier com papo perigoso de dizer que é preciso paciência pra viver.
Que andando ali quieto
Comportado, limitado
Só coitado, você não vai se perder
Que manso imitando uma boiada, você vai boca fechada pro curral sem merecer
Que Deus só manda ajuda a quem se ferre, e quando o guarda-chuva emperra certamente vai chover.
Se joga na primeira ousadia, que tá pra nascer o dia do futuro que te adora.
E bota o microfone na lapela, olha pra vida e diz pra ela...
Eu quero ser feliz agora (2x)
Se alguém disser pra você não cantar
Deixar seu sonho ali pro um outra hora
Que a segurança exige medo
E que quem tem medo deus adora
Se alguém disser pra você não dançar
Que nessa festa você tá de fora, que volte pro rebanho.
Não acredite, grite, sem demora...
Eu quero ser feliz Agora (3x)

Vou voltar

Sei que este meu espaço ficou por um bom tempo abandonado. Muitas vezes entrei, escrevi e não tive a coragem de publicar. 

Muitas coisas me aconteceram e fizeram com que eu entrasse num casulo. Mas sabemos que depois de um tempo num casulo nos temos nova vida, novas expectativas e assim está sendo. 

Durante esta minha ausência, uma pessoa muito amada partiu desta vida nos deixando de repente (saudade meu irmão). Fiz duas cirurgias que foi um sucesso, estou sem dor há alguns meses. Meu filho se casou. Deus é mara...


Bom, deu pra ver que terei muitas coisas para contar e que pretendo contar todos os detalhes, aguardem....



Beijinhos e fiquem com DEUS.


terça-feira, 12 de junho de 2012

Como surgiu o dia dos namorados no Brasil – Por Ruzel Costa


Add caption
O dia 12 de junho, para muitos é considerado um dos dias mais “românticos” do ano. Seria pelos presentes ou pelo amor, carinho ou cumplicidade dos casais?
 O dia dos namorados é conhecido em grande parte do mundo como o dia de São Valentim ou Valentine’s Day ou Dia de Valentino.
 Sua origem possui possíveis versões baseadas na tradição cristã e na igreja católica. A Igreja Católica reconhece três santos com o nome de Valentim, todos lembrados em 14 de fevereiro.
Entre as várias lendas que surgiram ao longo dos séculos, a versão mais propagada conta que, por volta do ano 270, o imperador romano Claudius II proibiu a celebração de casamentos, pois acreditava em que os homens solteiros seriam melhores combatentes em tempos de guerra. Um padre de Roma, Valentino, não concordado com a proibição, seguiu casando seus paroquianos  mesmo, às escondidas. Descoberto foi preso e condenado à morte por decapitação no dia 14 de fevereiro.
Para celebrar a coragem do padre, que depois se tornou santo, a data de sua morte passou a ser comemorada como o Dia dos Namorados.
 A Igreja Católica deixou de celebrar o dia de São Valentim em 1969 por duvidar de sua identidade e até mesmo de sua existência.
No Brasil, a origem da data não foi muito romântica, sendo escolhido o dia 12 de junho a partir de 1949, quando um dos pioneiros da publicidade brasileira o baiano João Dória (1918-2000) trouxe a idéia do exterior e a apresentou aos comerciantes paulistas. Como junho era um mês de baixas vendas no comércio, decidiram comemorar a data, escolheram a véspera de Santo Antônio, o santo casamenteiro.
 O  slogan da campanha publicitária era:   “Não é só de beijos que se prova o amor”, assim a  agência criou o dia, com o dos namorados no Brasil.   
Para felicidade dos comerciantes a moda “pegou” e nos anos seguintes passou a se comemorar o dia 12 de junho como sendo o dia dos Namorados no Brasil.
Felicidades aos casais nesse e em todos os dias do ano.
Fonte: http://www.rondoniaovivo.com/noticias/como-surgiu-o-dia-dos-namorados-no-brasil-por-ruzel-costa/76334