quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Dicas de passeios com acessibilidade


Como postei aguns dias atrás, ando sentindo muita dificuldade nas minhas saidas. Talvez seja por ser nova no quesito de Pessoas portadoras de Necessidades Especiais.
Hoje estava na Net, afinal nesse quesito ninguem fica em desvantagem e lá achei uma pequena lista de lugares acessiveis de fato.
Já fui a um cinema que o espaço para cadeirante é quase embaixo da tela, sai com uma baita dor no pescoço.
                        Opções de lazer e cultura exemplares em acessibilidade.
http://4.bp.blogspot.com/_9Jfv05vlmaU/TBY7Pd5GAwI/AAAAAAAAAFA/p6fDjXDeNrk/s1600/deficiencia%5B1%5D.jpg Centro Cultural Vergueiro
Piso podotátil, rampas e biblioteca em braille.
R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, tel. 3397-4002.

Cinermark Villa Lobos
Espaço reservado a cadeirantes na parte de trás da sala.
Av.das Nações Unidas, 4.777, Piso Lazer, tel. 3024-3860

Jardim Botânico
Passeio no Jardim dos Sentidos – há carros elétricos para quem tem dificuldade de locomoção.
Av. Miguel Stéfano, 3.031, Água Funda, tel. 5073-6300

Mercado Municipal
Pistas podotáteis e elevadores para o mezanino.
R. da Cantareira, 306, Parque Dom Pedro II, tel. 3326-6664

Museu da Língua Portuguesa
Audiodescrição e intérprete de linguagem de sinais (libras).
Praça da Luz, s/no, Luz, tel. 3326-0775

Museu do Futebol
Acesso a cadeirantes, piso podotátil e intérprete de libras.
Praça Charles Miller, s/no, Pacaembu, tel. 3663-3848

Parque da Juventude
Acessibilidade universal e biblioteca adaptada.
Av. Zaki Narchi, 1.309, Santana, tel. 2251-2706

Parque Villa Lobos
Acessibilidade universal, com rampas sobre gramados.
Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2.001, Alto de Pinheiros, tel. 3023-0316

Pinacoteca
Galeria Tátil de Esculturas Brasileiras, material de apoio em braille e audioguia. Visitas orientadas ao acervo, com agendamento prévio.
Praça da Luz, 2, Luz, tel. 3324-0945

Teatro Vivo
Peças com audiodescrição e legendas. Deficientes auditivos e visuais devem se cadastrar e chegar 30 minutos antes.
Av. Dr. Chucri Zaidan, 860, Morumbi, tel. 2626-0867

Theatro São Pedro
Óperas com audiodescrição. Limite de 15 pares de ingresso para pessoas com deficiência por espetáculo.
R. Barra Funda, 171, Barra Funda, tel. 3667-0499

2 comentários:

  1. Espero que muitos mais lugares se tornem acessivéis e que vc os descobra e possa curtir sua vida como qualquer outra pessoa!
    Eu vi uma matéria na TV a caba da Marisa Orth mostrando a casa dela e mostrando que ela a fez toda acessível, por que ela disse que é bem comum a gente ter amigos, familiares que precisam ou venham a precisar.
    Super verdade, quando fiquei doente (minha casa é um sobrado), nós sofremos muito com a escada, com o banheiro (em baixo só um lavabo), enfim, esse passou a ser um desejo do meu coração, ter uma casa sem escadas e sem dificuldades...
    Todos nós deveriamos pensar nisso...
    Por que como disse a Marisa, realmente é mais comum do que a gente pense..
    Beijos e continue compartilhando suas conquistas.

    ResponderExcluir
  2. Déa
    Obrigada pelo post.
    Antes de tudo isso acontecer na minha vida ,dava aula de alfabetização de adultos e uma coisa que sempre os aconselhava era para manter suas casas limpas de objetos, e não sobrecarregar de móveis. Falava que a idade ao chegar o mobiliário deveria ser adaptado. Muitas vezes pensamos nos PNE e não falamos que a expectativa de vida aumentou(graças a Deus)e os idosos também precisam de adaptações.
    Por exemplo: Barras no banheiro, todos se sentem mais seguros e confortáveis ao utiliza-lo.
    Hoje já temos arquitetos que estão orientando seus clientes para esta nova realidade.
    Beijos

    ResponderExcluir