domingo, 5 de junho de 2011

É assim que estou me sentindo hoje

http://1.bp.blogspot.com/-pKaqYjSno18/TcrD4fhHTDI/AAAAAAAAADE/n13Z9rgUDFg/s1600/ser-um-cristao-autentico-e-preciso-sair-de-cima-do-muro.jpg 
Sempre me perguntam se não tenho saudade da casa onde morava ate a três anos atrás.
Acho que de tanto perguntarem esses dias comecei a sentir saudade, não da casa física, mas dos momentos que vivi nela.
Foi uma casa de muitos encontros, muitas comemorações, muita felicidade.
Qualquer coisa era motivo de festa, mas não sei se é casa, acho que era o momento em que estava vivendo.
Hoje procuro ser otimista, sou uma pessoa de muita fé, mas tenho que ter consciência que muita coisa mudou.
Hoje não consigo organizar uma reunião como antes então perdeu o encanto, pois para mim o antes e depois fazia parte da confraternização.
Não consigo mais ficar muito tempo na cozinha fazendo quitutes, decorando a mesa, separando copos (sou apaixonada por copos). Pensava em todos os detalhes, no tapete da entrada, na iluminação, etc.
Não tem o mesmo prazer ligar e pedir coisas prontas, é como se faltasse algo.
Hoje quando vem amigos procuro praticidade mesmo sabendo que não isso não me dá prazer. Já desfiz de muitas coisas que tinha, precisei diminuir as coisas quando precisei deixar minha casa para morar em apartamento.
Apartamento é sinônimo de praticidade, hoje entendo isso, as pessoas têm que ser práticos mesmos afinal não tem onde guardar tanta coisa como de quem mora em casa.
Meu quarto é mínima coisa maior do close que tinha na casa. Minha cozinha era do tamanho da minha sala com a cozinha e a lavanderia juntas. Enfim, tudo era muito grande e hoje precisei compactar minhas coisas, minha vida, meus sonhos e desejos.
Isso mesmo, minha vida toda foi compactada, quero dizer que minha vida parece que ficou pequena sem brilho, sem expectativas.
Não gosto de falar de sentimento, tenho ate muitas dificuldades , estou só avaliando , comparando como era e como esta agora.
Muita coisa em minha vida mudou e ate meus amigos mudaram. Antes eu falava que tinha muitos amigos, mas...
Alguns ainda são, mas outros parecem que fugiu de mim como o diabo foge da cruz, afinal era uma amiga ágil, elétrica que saia, resolvia, ajudava a todos e hoje essa pessoa não existe mais. Muitas vezes encontro pessoas que conviviam comigo e elas desviam o olhar para não precisar vim falar comigo. Coitadas talvez sejam por não saberem o que falarem, como agir, como se explicar pelo vácuo que deixou na amizade.
Pensando bem se essa pessoa que fazia tudo isso não existe mais; festas, reuniões, saia, resolvia, ajudava, se doava, etc., seus amigos também não existem mais, isso mesmo, tenho que pensar exatamente assim, aquilo era de outra vida, hoje a minha vida é outra.
Não tenho como continuar, tenho que esquecer ou não viver de ilusão que poderá ser como antes. Nada mais vai ser como antes. Hoje tenho outra vida, outro tudo. Novas adaptações foram feitas e outras ainda terão de ser , adaptações de espaços e sonhos (se é que é possível). Hoje não posso fazer projetos, meus desejos são sufocados. Muitas vezes tenho vontade de gritar, chorar, mas não me dou este direito.
Sou forte , não sabia que era tanto, mas tenho meus momentos de fraqueza, de tristezas. Tenho que aceitar definitivamente que aquela vida não existe mais e tenho que aprender a viver minha vida nova.
É muito estranho quando é arrancado de você a vida, isto mesmo a  vida. Não digo vida oposta de morte, mas tipo de vida, qualidade, sonhos interrompidos, etc,
Sinto como se vivesse encima de um muro sem saber para que lado saltar. De um lado é a minha vida anterior e do outro é uma vida amarga, sem sonhos, sem projetos, muitas vezes na solidão. Nessa segunda vida terei que trabalhar muito para me adaptar e fazer dela o melhor possível. Mas sinto que ainda não esta definido esta vida, ainda esta obscuro, sem brilho, sem luz. Não consigo vê-la nitidamente, ate que tento mas tenho medo do que ela quer me oferecer.
É assim que estou me sentindo...

2 comentários:

  1. Oi Má..
    Sabe que os cupcakes ficaram bons mesmo!!! E foram vendidos na quermesse!!! Pena que você não foi pra provar =( Estou mesmo disposta a muita coisa, vamos ver se vou ter essa garra toda até o final. E estou pensando sim em fazer pro terço do meu niver, mas não vou prometer não. Vai depender se conseguirei tempo pra tal. Bolo vai ter, com certeza, os cupcakes podem ser surpresas!!!
    Sobre o seu post... fiquei pensativa. Que sou depressiva você já deve ter percebido e lendo seu post fiquei pensando como a nossa vida é louca... isso me deprimi... o não saber o que vai acontecer... sei lá... é tão estranho.. uma hora estamos bem, felizes, realizando nossos desejos e noutra estamos mal, tendo que viver de forma totalmente diferente... não sei o que dizer ao certo, sabe. Você é forte demais... Se fosse outra pessoa eu sentiria pena por tanto sofrimento e aflição, mas acho que sendo você não posso ter esse sentimento, né?! Eu vou contar uma história pra você: tenho um amigo desde a época do colegial que gosto muito. Ele sempre foi muito unido a mim. Sempre estava na casa dele estudando e ele sempre na minha. Era uma amizade assim de outro mundo. Amizade mesmo, de verdade. Ele tinha diabetes tipo 1 e tomava insulina todos os dias, mas não era nada cuidadoso. Esse descuido dele, com o tempo começou a mostrar sintomas. Começou com a vista, depois com o rim até que ele teve que fazer hemodiálise durante 2 anos e tralálá... até que teve mesmo que entrar na fila do transplante de rim e pâncreas. A mãe dele doou o rim e o pâncreas foi doador cadáver. Eu sempre mantinha contato com ele por telefone e uma vez estava inconformada com tudo aquilo, revoltada. Não entendia porque meu amigo teve que passar por tudo aquilo. E falando isso no telefone pra ele ele me respondeu: "Fabi, não fique assim porque tudo isso que estou passando é por minha culpa. Eu procurei tudo isso e não tenho o direito de reclamar de nada". Aquilo pesou tão forte em mim que até hoje não esqueço dessas palavras. Eu fiquei afastada dele todos os anos em que ele esteve fazendo a hemodiálise e só depois do transplante é que voltei a vê-lo. Acho que no fundo eu não queria vê-lo passando por aquela fase ruim. Nem sei porque ao certo estou te contando isso, mas acho que de repente as pessoas que se afastaram de você não é que não sejam suas amigas.. vai ver elas não são fortes o bastante pra vê-la passar por tudo isso e se sentem incapazes de fazer algo por você. Porque no fundo foi isso que passou por mim quando esse meu amigo quase irmão 'precisou' de mim. Eu não consegui ler seu post sem pensar nisso... Peço desculpas se estou te contando isso e se estou atropelando as ideias, mas eu sou fraca pra esse tipo de coisa... eu meio que fujo das coisas (já deve ter percebido pelo meus posts, né) mas não é por maldade, épor não saber como lidar com a situação. Quando fazia terapia a minha terapeuta disse que eu cresci mas meu psicológico era de uma menina de 5 anos de idade!!! E acho que ela tinha razão mesmo. Ainda luto contra isso, mas é difícil sozinha...
    Má, desculpa porque fugi do assunto, mas quero dizer que você é muito querida e sua vida pode não ser como era antes, mas ela ainda terá muitas alegrias, muitas festas, muitos encontros muitas confraternizações, muitos amigos, muito tudo de bom =)Você não precisa abrir mão daquilo que gostava ou que te fazia feliz. É só adaptar ao espaço, ao momento e tudo se encaixa. Eu estou torcendo muito pra você, viu.
    Beijos e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Sabe hoje estava aqui na minha casa pensando que minha vida não caminha, que pago aluguel, não tenho emprego fixo, que não estou perto do meu filho e muitas outras coisas..... Encontrei seu blog por acaso. Lendo sua história percebo que reclamo e me preocupo por nada, pois deus é quem sabe da nossa jornada.
    Você está tendo essa jornada, ou quem sabe uma oportunidade, pois é exatamente isso que você está me dando com sua história. Depois de hoje vou pensar diferente, agradecendo a Deus pelo pouco e pelas pequenas oportunidades que tem me dado.
    Márcia você é uma mulher corajosa e iluminada.
    Fique com Deus obrigada.

    ResponderExcluir